A paródia do povo heroico


Créditos: Valter Campanato/Agência Brasil/Reprodução de vídeo

Recentemente, foi divulgado na imprensa que o ex-secretário especial de Cultura Mário Frias, que ocupou o cargo até março deste ano, tornou-se réu numa ação penal promovida pelo ator, compositor e comediante Marcelo Adnet [1].


Para quem não se lembra, no auge da pandemia da Covid-19, Marcelo Adnet conduzia um programa diário, gravado diretamente de sua residência, chamado “Sinta-se em casa”, onde fazia esquetes humorísticas apenas com objetos caseiros e com a ajuda de sua esposa, Patrícia Cardoso.


No episódio exibido em 4 de setembro de 2020 (#quarentena #dia172), o humorista carioca parodiou a abertura da websérie denominada “Um povo heroico” [2], promovida pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), que fazia parte das celebrações do Dia da Independência do Brasil [3].


Adnet ridicularizou o vídeo originalmente protagonizado pelo então secretário, fazendo chacota de sua interpretação e chiste com o tom enigmático do roteiro que se ancorava, de forma excessiva, em símbolos e objetos históricos do país.


A partir desse fato, ambos trocaram farpas nas redes sociais [4], de forma bem incisiva, sendo que Adnet processou civil e criminalmente Frias por ele tê-lo insultado de “criatura imunda”, dentre outras ofensas, as quais o Tribunal de Justiça do Distrito Federal entendeu, após dois anos, ser o caso de injúria e difamação.


Na época, a paródia de Adnet gerou uma repercussão tão grande que o projeto da websérie foi interrompido abruptamente. Mesmo com “Um povo heroico” cancelado, no dia 13 de setembro de 2020, a Secom divulgou o vídeo de encerramento da campanha [5], com o objetivo de dar uma resposta final ao imbróglio Frias-Adnet, demonstrando as “nobres” intenções do projeto que foi alvo de deboche por parte do comediante.


O vídeo de encerramento (da websérie que não iria mais acontecer, ratifique-se) é um monumento repleto de signos que revelam muito sobre o projeto de poder do atual governo federal. Narrado por Mário Frias, que não atua em primeiro plano, é sincronizado com uma trilha sonora épica e imagens que buscam, claramente, intensificar o projeto nacionalista da política cultural do governo federal. O vídeo reforça a ideia populista do ato heroico diário, do heroísmo comum do dia a dia, que não está emoldurado na parede, mas pode estar presente na casa de todo o povo brasileiro.


Nas palavras de Mário Frias, em 2020, “quando percebemos que em 5 de setembro se completariam 5 anos de um grande ato de amor ao próximo, resolvemos fazer uma série com os bons valores que movem pessoas como o Francisco Erasmo, que salvou uma refém que ele não conhecia.” [6]


Para se ter uma ideia do poder simbólico desse material audiovisual, após a exibição do feito heroico de Francisco Erasmo Rodrigues de Lima [7] - cidadão em situação de rua que morreu ao ajudar uma refém a se libertar de seu sequestrador na Praça da Sé, no Centro de São Paulo em 2015 - que é comparado à Dimas, um dos ladrões crucificados ao lado de Jesus Cristo, o filme termina com o presidente da República desfilando em carro aberto, transmitindo a mensagem de que todos deveriam se sacrificar, de alguma maneira, pelo próximo e, acima de tudo, pela nação.


O vídeo é uma grande evidência do projeto ufanista da política cultural federal, encampada pela Secretaria Especial de Cultura, exaltando a figura do herói anônimo, algo bastante conveniente para o momento difícil que o Brasil passava durante a pandemia.


Sem dúvida, Adnet, caso não estivesse litigando com Frias, continuaria a expor as entranhas do atual projeto de poder que revela em seu semblante profundas marcas de autoritarismo ao longo desta gestão e que tem o nacionalismo como um dos seus pilares de sustentação.

* Mário Pragmácio é doutor em Teoria do Estado e Direito Constitucional (PUC–Rio), professor do Departamento de Artes e da pós-graduação em Cultura e Territorialidades da UFF e conselheiro do Instituto Brasileiro de Direitos Culturais (IBDCult)

Notas e referências


[1]https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/juiz-aceita-queixa-crime-marcelo-adnet-mario-frias-injuria-difamacao


[2] https://www.youtube.com/watch?v=Nae7fyDJxE4


[3]https://www.poder360.com.br/governo/mario-frias-estrela-campanha-da-secom-que-homenageia-herois-brasileiros/


[4]https://f5.folha.uol.com.br/celebridades/2020/09/mario-frias-ataca-marcelo-adnet-nas-redes-sociais-apos-parodia.shtml


[5]https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2020/09/mario-frias-se-coloca-em-segundo-plano-em-novo-video-de-serie-sobre-herois.shtml

[6]https://twitter.com/mfriasoficial/status/1305295841226350598?ref_src=twsrc%5Etfw


[7]https://vejasp.abril.com.br/cidades/homens-mortos-praca-da-se-escadaria-tiroteio/

196 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo